Sonho de Criança

J.R.Cônsoli

Sonhei um dia na roça
que estava numa palhoça
de um grande canavial...

O sol brilhava garboso,
eu ouvia um som manhoso
que vinha lá do quintal.

Corri muito preocupado,
atravessei o gramado,
e em pouco lá chegava.

Em cima de uma porteira,
quase caindo da beira,
uma piorra girava.

Tinha um som metalizado,
com tons de alaranjado,
não era coisa daqui.

Fui logo correndo pra casa,
como se eu tivesse asa,
para contar logo o que vi.

Mas assim que lá cheguei,
pessoas não encontrei,
a casa estava vazia!

No limiar do horizonte,
luzes brilhavam aos montes,
um festival parecia...

A piorra era um aviso:
que o mundo criasse juízo,
era preciso mudar.

Os homens compreenderam,
as mensagens acolheram,
sem mesmo pestanejar.

Pela janela olhando,
eu vi pessoas chegando
cantando suas raízes.

Percebi que a nossa Terra,
enfim livrou-se da guerra,
havia paz nos países.

O mundo todo sorria,
com a festa de alforria,
dos povos e das nações.

E no mundo ora criado,
todos brincavam encantados,
com seus sonoros piões.

 

 

 

 

 

VOLTAR