O Barquinho de Flores
Cida Valadares
 
 
 
 
Encontrei no quintal um barquinho
ao léu, e abandonado.
Imaginei que estivesse tristinho
Desguarnecido, e mal tratado.
 
 
Meu coração bateu forte.
Meus olhos se umedeceram
Queria mudar-lhe a sorte
e, todos os anjos creram.
 
 
Enchi-lhe de terra e, sementes,
plantadas foram no barco
As sementes floresceram
E o barco tornou-se encantado.
 
 
Na primavera, que surpresa!
O barco encheu-se de flores
Naveguei aquela beleza
Num mar em ondas de amores.
 
 
CLIQUE NA ASSINATURA PARA VISUALIZAR O PPS
 
 
 
 
 
Arte e Formatação:
AugustaBS
 
 
 
 
 
 

 

 

VOLTAR