A Perereca Sinhá
Cida Valadares
A perereca Sinhá,
quando o dia amanhecia
Começava a pular
E era só o que fazia.
Don Sapo com seus olhos
esbugalhados como quê
Ficava a observar.
Isto ele bom em fazer.
Minha menina e menino
Prestem bastante atenção
Olha só, será se o destino
Quis aprontar confusão?
Don Sapo se desequilibrou
e lá no brejo caiu
Perereca Sinhá se assustou
Quis correr... não consegui
Don Sapo , num abraço fatal,
o coração disparou
Da Perereca Sinhá
Ele se enamorou.
Tempos depois, uma festa
lá no brejo aconteceu.
E esta história de amor,
ainda se conta por lá
O casamento de Don Sapo
Com a Perereca Sinhá.
Eis a foto que recebi, da festa.
Beijos.
Tia Cida