A CENTOPEIA

Luiza Porto

 

Havia uma centopéia de pano, em uma casa feliz.

Na casa, era papai, mamãe e um bebe

rechonchudo e muito engraçadinho.

Ela ficava em um canto, no quarto infantil

Decorado com muita graça e amor.

Paredes pintadas de azul, como um céu encantado.

Quando o bebe começou a engatinhar,

gostava de ficar sempre perto da centopéia.

Era seu brinquedo favorito, deitava em cima

dela, fazia carinhos e dava beijinhos

sem parar.

Os pais ficavam felizes, vendo seu bebe

tão tranquilo, quando estava com sua

amiguinha.

E a centopéia também era feliz, por ser tão amada

por aquele bebe.

Quando ele começou a andar, mais

ficavam juntos, até que uma noite, depois

que os pais foram dormir, a centopéia de pano, tomou

vida, e acordou o bebe, e começaram a brincar,

ele montou nela, que como um cavalinho

fazia upa-upa com ele, que dava gargalhada de felicidade.

E assim foi até ele ficar bem crescidinho, de

dia ela era de pano, a noite era uma festa

ver a felicidade dos dois.

E hoje, já homem feito, tem um grande afeto

por sua amiga, e não tem certeza,

se foi real ou um sonho, sua infância

feliz com sua centopéia.

 

 

CLIQUE NA CENTOPÉIA PARA VISUALIZAR O PPS