ELIXIR PARA CURAR MÁGOAS
 
Maria José Zanini Tauil
 

Mágoa é veneno em gotas homeopáticas, que mina o sangue, as energias e a vida.
Com o tempo, as doenças estão instaladas, o sangue envenenado... e nem sabemos porquê.
Claro que já tive mágoas: da amiga que roubou-me o namorado, do colega de trabalho que fez algo errado e pôs a culpa em mim, do marido, dos filhos... mas nada que eu não pudesse colocar para fora todo o sentimento advindo do motivo.
Quando eu percebia que aquele mal estar persistia, colocava meus joelhos no chão e pedia a Deus que me libertasse.
A mágoa aprisiona, tem correntes invisíveis que nos atam, nos tiram os movimentos. Não me lembro de uma só vez em que tenha pedido essa libertação e que não tenha conseguido.
Do mesmo modo, se pressinto que causei mal a alguém, mesmo que involuntariamente, luto com persistência para que a má impressão se desmanche, como uma nuvem de tempestade de verão.
 
Lembro-me de uma passagem Bíblica, em que Jesus no calvário dizia a Deus a cerca dos que o haviam crucificado:
“Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.”
Agora sei por que Jesus não se magoava com as traições de Judas.
Um Judas, antes de ser um traidor, é um suicida.
 
Perdoar não é uma opção, perdoar é uma escolha. Perdoar é escolher atender um mandamento divino ... “perdoa as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores”...
(Mateus 6:12).
 
MÁGOA, FARDO PESADO
Mágoa é suicídio
Amargura nostálgica
Pelo que foi...não é mais
Deixa feridas profundas
É, sim, suicídio postergado
Que mata aos poucos
Gera medo que se renova
Impede experiências novas
Intimida o sorriso abundante
Parece insignificante
Mas deixa marcas gigantes
Na interna dinâmica do ser
 
Mágoa não é doença
Mas pode se tornar...
Se do outro vierem atitudes
Inesperadas,
Vá...enfrenta...conversa
Isso não é ser dominado
Mas ter domínio de ti
Analisa o que te for mostrado
Porque as pessoas só chegam
Onde permitimos que cheguem
Pelas portas que abrimos...
O outro só faz conosco
Aquilo que permitimos
Para cada deslize,
Um questionamento
Porque mágoa pesa demais
Deixa lento o pensamento
Mágoa desatina
Enleia em suas teias
Como aranha traiçoeira
Que abocanha...
Plácida...repentina
Mágoa devora
Joga seu néctar
Que por dentro corrói
É rio que escorre, incoerente
Como sangue grosso nas veias
É sofrimento corrente...
 
Estar magoado
É tomar veneno
Em doses pequenas
À espera que o outro morra
É pior para quem sente
Para o alvo é mais amena
É desgosto que chega
E toma para sempre o lugar
Tão grandioso do amor
Prefere-se a solidão
Em detrimento do perdão
E se arrasta essa corrente
Pela vida mal vivida
Pois não existem scripts
Nem pacotes preparados
Para trilhar esse caminho
De pura destruição
Poucos procuram a solução
Que pode estar na oração
Sim, ora por quem te magoou
Somente o perdão
É elixir para a cura
Pois ele liberta...abre algemas
Faze tua escolha
Fechando portas ou não
Mas não deixes de conceder
O perdão de coração
Da ira, fica desarmado
Pois certamente serás
O único beneficiado!
 
 
 

 

 

Imagem jpg
Wav: Villa Lobos - Aria (Cantilena)
Arte e Formatação: JoiceGuimarães

 

VOLTAR