onde o destino...
Francisco Coimbra
 
 
 
ONDE O DESTINO SE EXTINGUE
esta carta, só assim..., se poderá encontrar
contigo!

NU(S) POEMA(S)
Estamos encontrados
em palavras
que é...

a maneira mais fácil
de...

nos podermos perder

Para nos encontrarmos, só resta a rosa da prosa, a voz sem canto, onde o encanto é não haver um verso do que se diz, apenas a intenção simples:
quero-te, como te posso ter?

Mas,
provavelmente estás viciada em versos e tudo tem um verso, uma diferente forma de ver ou de dizer e, o mais fácil sempre, é acabarmos em poesia e nus... «nos podermos perder»...
É pena mas é assim, bom mesmo é passear de mão na mão e dançar como se fossemos bailarinos dum ritmo nosso onde temos música e amar como se fizéssemos orações pagãs ao prazer. Não há mais a dizer a não ser contar as nossas vidas, para saber se isso é possível ou não.
Mas, ...

VAIS-TE PERDER COMO EU
se te posso tocar em palavras
não é para te afastar com elas

se te posso amar sem palavras
não me consigo afastar eu delas

se te quiseres expor a palavras
não é difícil nem fácil, possível...

 
Francisco Coimbra
Código do texto: T97188
 

 

 

 

Creditos
Tubes Ana Ridzi
Tutorial
Hilda Rosa


 

 

VOLTAR