Participantes:

Susana Custódio; Nídia Vargas Potsch ( 2 ) ; Cida Valadares; Ógui Lourenço Mauri;

Paulo Silveira Ávila; Maria Thereza Neves ( 3 ) ; Malu Otero; Humberto - Poeta; Roze Alves;

Mercília Rodrigues ( 2 ) ; Theca Angel; Mj Tauil; Jonas Rogerio Sanches; Hilda Rosa;

Vera Pessoa; Dioni Virtuoso; Rita Rocha; Maria Thereza Neves; Junior;

 

 

 

Anadiplose
 
É a figura de linguagem que consiste na repetição da última palavra ou expressão de uma oração ou frase no início da seguinte, com a intenção de realce. Isto é, um recurso estilístico enfático.
 
 
 

Coordenação do Exercício Poético:

Nídia Vargas Potsch   &   Susana Custódio

 
 



Exemplos:

 

Se Eu Voltasse a Ser Criança
Susana Custódio


Seria tão bom sentar-me e ouvir
a minha avó
A minha avó contando histórias de
príncipes e princesas
Príncipes e princesas que me fizeram sonhar
Sonhar é hoje o que me resta daquela época feliz
Época feliz em que de novo à corda saltaria
Saltaria pelos prados colhendo flores silvestres
Flores silvestres com as quais faria uma coroa de princesa
De princesa vestida a minha mãe beijaria
Beijaria cada livro ofertado, cada momento vivido
Cada momento vivido daria muito mais valor
Mais valor em todas as brincadeiras de criança
Criança quereria permanecer
Permanecer inocente e amar por igual a toda a gente.

 

 

O Caminhar da Vida
Nídia Vargas Potsch
@Mensageir@


A vida é um caminhar por
estradas
Estradas convencionais, sem sinais
Sinais que não iluminam
os passos.
Os passos que variam conforme o desejo
Desejo de cada qual chegar ao destino
Destino escolhido porque nossa vida
Nossa Vida não passa de uma conquista diária!

 

 

 

Participações:

 

Papai
Cida Valadares

Ah! que saudades eu sinto do meu pai.
Pai,
  que com o  melhor, participou de minha história.
Minha história,
onde a fazendinha era feita de bichinhos de xuxus
De Xuxus
pintados pela fantasia que, solta, corria...
Corria...
trazendo luz para os olhos,  mais luz que o clarão de todos os dias.
Todos os dias
eu me lembro, com saudade, pai, eu oro...
Pai, eu oro
espere-me ai, onde desejo muito reencontrá-lo.
Reencontrá-lo
no coração do Paraíso  que contigo levou, quando foste embora.

 


 

BEIJOS DE VERDADE
Ógui Lourenço Mauri


Quantos beijos poéticos já te dei!...
Dei
no rosto; com afeto, com carinho.
Com carinho, nos seios; como sonhei.
Sonhei
e fiz acontecer, de mansinho.
 
De mansinho, fui e te beijei na nuca.
Na nuca,
ao beijar, te fiz arrepiar.
Arrepiar
todinha, muito maluca.
Maluca
demais, sem poder disfarçar.
 
Disfarçar, pelo que vi, não é teu forte.
Forte
, mesmo, é o amor que sinto por ti.
Por ti,
faço tudo, procuro meu norte;
Meu norte
é teu rumo, vou chegar aí.
 
Chegar aí, poder te abraçar ao vivo...
Ao vivo,
em cores, receber teu calor.
Calor
tão presente, meu maior motivo.
Maior motivo
pra viver nosso amor.
 
Amor
sofrido sempre alimenta os sonhos.
Sonhos
de poder te tocar à vontade...
Vontade
de beijar teus lábios risonhos.
Risonhos,
prontos pra beijos de verdade.
 
Catanduva (SP), 12/08/2012
Ógui Lourenço Mauri

 

 

ESCURIDÃO
Paulo Silveira de Ávila
 
Era noite de garoa fria
Fria como o vento zunindo na estrada
Estrada entre colinas ao sem fim
Sem fim no horizonte da escuridão
Escuridão na aridez do meu deserto
Deserto dos meus sonhos
Sonhos procurando um sorriso
  Sorriso compondo o seu rosto
 Rosto espelho de incontida felicidade
Felicidade que passa fugaz como a paixão.
 
 
 

 

Ainda ontem....
Maria Thereza Neves

na poeria das formas
Formas
daquele cochilo sonolento
Sonolento
de palavras, emoções
Emoções
além da última estrela, ainda ontem...
Ainda ontem...
nas transmutações, permutas
Permutas
com o universo
Universo
que desprende do rosto  da rocha
Rocha
que semea magia
Magia
no sangue da terra
Terra
com perfume nas artérias que sonham
Sonham,
pensam no enigma do poeta
Poeta
das estradas, das ruas, ainda ontem... 

 

 

 


AMOR QUE SE FOI PARA SEMPRE
                   Malu Otero

Para sempre é forte demais
Demais
como foi nosso amor
Amor
que já não está presente
Presente
não pode estar
Não pode estar
porque já não é
Já não é
pois deixou de ser
Deixou de ser
pois chegou ao fim
Ao fim
um dia se chega
Chega
agora digo eu
Eu
já não penso nesse amor
Amor
que se foi para sempre.

 

 

ANADIPLOSE
Humberto - Poeta
 
Desejo lhes falar da anadiplose:
anadiplose
é uma repetição,
repetição
do verbete final,
final
verbete da frase anterior,
anterior,
mas bisada no começo,
no começo
da frase seguinte,
seguinte,
sim, como eu agora faço,
faço
de fato aqui neste poema,
poema
em que eu insiro algumas doses,
doses
bem fartas de anadiploses,
anadiploses
- vãs repetições!

Humberto – Poeta.

 

 

INACABADA
Maria Thereza Neves


inacabada interrompida
cena
Cena
,vírgulas exigindo pausas
Pausas apagando manchas ,
desilusão 
 Desilusão
de sons que empurrem o mundo 
O mundo ,luz sonhada do sul
Do sul ,da pura palavra em poemas
Poemas ,música pintando horizontes
Horizontes evocando a cena inacabada
Inacabada abstração no acalanto dos sentimentos
Sentimentos  criando a distância
Distância numa apoteose em dor-vermelha
.
 
 

 

 
Se Pássaro Fosse
Roze Alves
 
Sendo pássaro teria lindas asas.
Asas que me levariam a tudo desbravar,
desbravar inclusive a mim mesma, quem sou eu?
Eu que não me entendo, que nada cabe em meu interior,
interior que parece uma imensa gruta escura,
escura, solitária, que grita por socorro...
Socorro! Quem poderá em pássaro me transformar?
 
Amanhecer-M
RJ: 13/08/2012
 
 

 


Tão pequenas...
Mercília Rodrigues

Quando a vida corre mansa, toma-nos o coração pequenas alegrias.
Pequenas alegrias
que nos alcançam no gargalhar da brisa.
Brisa
que enlaça, abraça e traz perfume de flores,
Flores
que enebriam nossa alma leve e plena de amor!
Amor
que nos carrega em colo de lua, num lençol de nuvens.
Nuvens
que de plumas sonhadas se aconchegam.
Aconchegam
-se pra que vejamos no céu os sonhos,
Sonhos
que nos trazem pequenas e doces alegrias! 

 

 

POR QUEM?...
Theca Angel

Te fiz poesia em minha saudade
Saudade
das horas e dos tempos
Dos tempos
poéticos e sonolentos
Sonolentos
quando dormitava a irrealidade
Irrealidade
que foi fazendo-se presente
Presente
entre rimas cada vez mais ausentes
Ausentes
sem o toque gentil da esperança
Esperança
fugaz no indefinido sentir
Sentir
que fui perdendo, sem depois
Depois...
quando esqueci-me de por quem?



Segredo
Mercília Rodrigues
 
Sou grão de areia vertido.
Vertido de pedra bruta.
Bruta na boca da mata.
Mata escondida na gruta.
Gruta segredando cascata.
Cascata de espuma oculta!
 
 

 
 
LAPSOS DE MEMÓRIA
Maria José Z.Tauil

Escoar de dias
Dias
de jogo amargo
Amargo
na volta das manhãs
Das manhãs
cheias de escuridão
Escuridão
de sonhos alçados
Sonhos alçados
ao espaço que passou
Passou...
aquele amor tão breve
Tão breve...
feito de tempo...
Tempo que cedeu
Cedeu
  a esse choro inútil

Inútil foi o  pranto
Pranto
de olhos alheios
Olhos alheios
 sobre tristezas
Tristezas
nas sombras de palavras
Palavras
que corriam de mim...

MJZTAUIL

 

 


Sonhos e Sentimentos
Jonas Rogerio Sanches
(Anadiplose)

Quantos medos que tive dos meus pesadelos,
pesadelos
que se tornaram os mais belos sonhos,
sonhos
tão reais que me perdi  aqui solitário,
solitário
como um bardo a mirar o verde mar,
mar
de tantas emoções, recordações e sentimentos,
sentimentos
que me movem junto as ondas até você...

 

 

Tantos medos...
 
Medos sem freios
Freios fracos ,quase cegos
Cegos nos precisos momentos
Momentos que atormentam a memória
Memória que não apaga
Não apaga, não deleta os reflexos
 Reflexos daquele maldito espelho!
 
Maria Thereza Neves

 

 

NOAH  vai chegar
Nídia Vargas Potsch
 
 
No próximo mês das flores
Das flores e dos muitos amores,
Amores que vem da lua, das estrelas,
Das estrelas que cintilam para todos nós,
Para todos nós, Noah nos mostrará
mostrará um exemplo de Amor e Paz,
Amor e Paz que nos envolverá de carinho,
Envolverá de carinho a partir de Setembro...
Setembro, que chega para nos transformar!
 
@Mensageir@
 

 

Querer saber
HildaRosa

Saber e aprender,
aprender
a conhecer,
conhecer
sem medo de participar,
participar
em meio a tantos poetas,
poetas
que me encantam, desnudam,
desnudam
a alma e o meu querer,
querer
aprender a saber.

 

 


             Momento Presente
                 Vera Pessoa
 
 
VIVO ESTE  MOMENTO com  saudade  dele
                      Dele que  presente não  está.
Está
no cheiro da praia que me faz lembrar
                      Lembrar daquela noite de luar.
 
 
Luar idêntico à hora toda em seu pleno sabor
                     Sabor qu´em vida é a anteboda.
Anteboda
em cores  e aquele ópio  perfume
                     Perfume  sedento daquele amor.
 
 
Amor
e  morte não virão nem tarde nem  cedo...
                     Cedo que se debruce sobre nós a sorte!
Sorte
ou luz ao longe que cale seu mal gesto...
                    Gesto... Tudo é o mesmo !... Eis o MOMENTO!
                               
                                         Vera Pessoa
                                               Capital/ São Paulo
                                                    17.VIII.2012


 

 

Foi Assim...
Dioni Fernandes Virtuoso


Foi assim que... Chegaste em minha vida:
Chegaste em minha vida
feito a onda incansável do mar!
Mar
que não desiste, vai e volta, avança,
avança
sempre um pouco mais,
mais
e mais...Quando vi, molhei meus pés!
Meus pés
envolvidos na branca espuma,
na branca espuma
mergulhei minh’alma.
Minh’alma se encheu da Tua Luz!
Luz
que transformou meu coração...
Agosto de 2012

 


Em Tempo Certo
 
O tempo vai passando com  velocidade
Velocidade,
sempre  indica a reta  final.
A reta final
  tornou-me mais compreensiva.
Compreensiva
no meu modo de sonhar e de amar...
Amar
é sem dúvida, é um sentimento divino.
Sentimento divino
é este meu amor por Ti, ó Pai!
Ó Pai
que ama Teus filhos, e os acolhe  em Tempo certo!

Rita Rocha
Santo Antônio de Pádua – RJ – 22/08/2012


 

AUSÊNCIA
Maria Thereza Neves

Adormecida ausência.
Ausência
suave, doida saudade que não finda.
Não finda,
respira perfumes, lembranças.
Lembranças,
espaços-tempos idos.
Idos,
agora vazios
Vazios
pensamentos perdidos.
Perdidos
fragmentos, recordações.
Recordações
luzes em orações.
Orações
, canções ecos da solidão!

 

SENTIMENTOS
JUNIOR PEREIRA ALMEIDA
 
Puro e sereno amor,
Amor, fraterno de explendor,
Explendor, que reluz em minh'alma,
Minh'alma, que emana desejo,
Desejo, de querer tocar teu corpo,
Teu corpo, que mexe com meus sentimentos,
Meus sentimentos, que são para ti, a razão do meu existir.
 
Vitória - 02/09/2012

 

 

CLIQUE NA CAPA PARA BAIXAR O E-BBOK

 

 

 Formatação
Mara Pontes©
Imagem ampulheta colhida na net
Wav:Braveheart/Piano-solos

 

VOLTAR